Podemos dizer que Managament 3.0 é movimento de transformação do estilo de gestão, que combina jogos, ferramentas e práticas para ajudar qualquer profissional a gerenciar a organização, tornando todos responsáveis pela gestão.

Neste movimento, as pessoas são a parte mais importante do sistema, e o papel do líder passa a ser o de apoiar e garantir que não existam bloqueios para que tudo flua, garantindo um ambiente de confiança em que todos possam ser criativos e possam trabalhar efetivamente juntos, motivados e engajados.

“A gestão não consiste em selecionar as melhores ideias; e sim criar um sistema que permita emergir as melhores ideias.” – J. Appelo

Em ambientes complexos, com mudanças constantes, uma gestão que abraça a mudança e encoraja outros para que façam o mesmo é fator crítico de sucesso. O trabalho de gestão torna-se o de projetar e executar os sistemas que suportam a empresa para alcançar seus objetivos.
Nesse contexto, entende-se que uma organização é um Sistema Adaptativo Complexo, porque consiste em partes (pessoas) que formam um sistema (organização), que mostra um comportamento complexo enquanto continua se adaptando a um ambiente em mudança.

O Management 3.0 tem os seguintes princípios:

  1. Engajar as pessoas e suas interações
  2. Melhorar o sistema de trabalho
  3. Ajudar a encantar todos os clientes
  4. Gerenciar o Sistema, não as pessoas
  5. Co-criar o trabalho

Além disso, ele tem série de ferramentas e práticas, organizadas em 6 perspectivas:


Energizar Pessoas: As pessoas são as partes mais importantes de uma organização e os gerentes devem fazer de tudo para manter as pessoas ativas, criativas e motivadas.

Empoderar Equipes: As equipes podem se autoorganizar, e isso requer empoderamento, consentimento e confiança da gestão.


Alinhar Restrições: A auto-organização pode levar a qualquer coisa e, portanto, é necessário proteger as pessoas, compartilhar recursos, dar às pessoas um propósito claro e metas definidas.

Desenvolver Competências: As equipes não podem alcançar seus objetivos se os membros da equipe não forem suficientemente capazes, e os gerentes devem, portanto, contribuir com o desenvolvimento de competências.

Crescer a Estrutura: Muitas equipes operam em um contexto de uma organização complexa, assim é importante considerar estruturas que favorecem a comunicação.

Melhorar Tudo: Pessoas, equipes e organizações precisam melhorar continuamente para adiar o fracasso pelo maior tempo possível.

“A gestão pode ser vista em um triângulo onde a arte, a experimentação e o conhecimento se encontram.” Henry Mintzberg, Simply Managing

Somente podemos melhorar a felicidade do profissional quando todos se sentem responsáveis pela gestão e quando os gerentes aprendem a gerenciar o sistema ao invés de pessoas.

“Se as melhores memórias de sua vida são todas sobre suas férias, talvez não devesse voltar ao trabalho amanhã.” – J. Appelo

Ser feliz com que o está fazendo e produzindo, sentir-se reconhecido e valorizado é um dos objetivos deste novo modo de ver a gestão. E faz parte do papel do líder apoiar as pessoas para que encontrem o caminho.

%d blogueiros gostam disto: